Fundação Pedro Calmon

14/03/2017 17:50

No aniversário de Castro Alves deputados baianos celebram a Poesia

DebateA Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa da Bahia, presidida pela deputada Fabíola Mansur (PSB), realizou, nesta terça-feira (14), audiência pública em homenagem ao Dia da Poesia. A data, que marca o aniversário do poeta Castro Alves, foi por muitos anos considerada o Dia Nacional da Poesia, a alteração ocorreu em 2015, com a lei federal 13.131, que alterou a data para o aniversário de Carlos Drummond de Andrade, em 31 de outubro.

A mesa de debates foi composta por, Zulu Araújo, presidente da Fundação Pedro Calmon; Jorge Carrano, poeta, cronista e membro do Conselho Estadual de Cultura; Lia Silveira, representante da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e Mariângela Nogueira, diretora do Projeto Livro e Leitura da Fundação Pedro Calmon. A sessão foi dividida entre discussões para o fortalecimento da cultura, de forma ampla no estado e declamação de poesias, feita por parlamentares, servidores e convidados, tornando mais bonita a homenagem à poesia e aos grandes poetas.

O deputado Zé Neto (PT) enalteceu a iniciativa da presidente da comissão, deputada Fabíola e pediu a realização de mais audiências como essa, momento que ele descreveu como essencial para a valorização da cultura e dos jovens.

O representante da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo apontou a necessidade de mais verbas para a cultura. “Parabenizo a presidente da comissão pela realização da sessão, são muitos os entraves para a Cultura, mas uma das nossas grandes bandeiras, hoje, é lutar para garantir o direcionamento de pelo menos 1% das verbas do orçamento do estado para a área”, disse. Ele falou ainda da importância de aumentar o índice de leitores e o acesso à leitura no estado.Debate

O escritor Jorge Carrano defendeu a manutenção de verbas e sugeriu a valorização de manifestações culturais plurais. “A educação e a arte dependem da cultura e não o contrário. Precisamos lutar por nossa cultura genuína, não só essa cultura 'encastelada', mas aquela construída todos os dias nas ruas, que tem como protagonistas os negros, mulheres, que falam também das nossas dores”, afirmou. Carrano sugeriu ainda que a Assembleia Legislativa crie um selo que permita a publicação de uma coletânea com poesia de vários artistas.

A presidente do colegiado e proponente do encontro ouviu atenta todas as solicitações e se comprometeu com os encaminhamentos. “A cultura sempre teve grande espaço no meu mandato, meu compromisso será ainda maior agora. Irei, junto com cada um de vocês, defender mais verbas para a cultura e criar mecanismos que valorizem a pluralidade das nossas manifestações” disse Fabíola Mansur. A parlamentar se comprometeu a apresentar um projeto que institui o 14 de março como dia estadual da Poesia.

A audiência foi encerrada com o sorteio de livros lançados pelo programa editorial da Casa e apresentações do grupo Negritude em Nós, de Itaparica, e dos poetas Antônio Costa, Matheus Bispo, João Lucas, Crislei dos Santos, Moisés Daumerie, Rafael Pugas, Antônio Costa, Newton Silva, Bárbara Uila, Lucrécia Rocha, entre outros. Estiveram presentes o vice-presidente da comissão, Heber Santana (PSC) e os deputados Bira Coroa (PT), Zé Neto (PT), Carlos Ubaldino (PSD) e Rosemberg Pinto (PT).


Texto e fotos: Ascom/ Fabíola Mansur

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.