Centro de Memória

07/07/2017 13:50

O que foi a Rota Histórica - Salvador, Itaparica! - Por Marcelo Siquara

Rota Histórica em Salvador

Rota Histórica no bairro de Pirajá, em Salvador - Foto: Elói Corrêa (GOV/BA)

Conhecer a nossa própria História é estabelecer um laço de pertencimento e reconhecimento identitário. Existem múltiplos valores que unem socialmente as pessoas. Entre estes, podemos mencionar os esforços empreendidos pelos baianos nos campos de batalha. Quando me refiro a estes esforços, estou tratando diretamente da contribuição dos baianos ao longo do processo histórico que culminou com a independência brasileira. Jamais podemos esquecer: Sem o 2 de Julho na Bahia, o Brasil não seria Brasil.

Rememorar os esforços empreendidos pelos baianos em favor da independência brasileira significa ocupar um espaço na História que nos pertence por direito. Nesse sentido, a Fundação Pedro Calmon, através do Centro de Memória da Bahia, tem conseguido realizar projetos de suma importância.

A Rota da Independência conseguiu romper com a perspectiva factual e trivial de uma abordagem monóloga. Saímos a campo. Fomos conhecer os palcos dos conflitos. Traçamos um roteiro por Salvador e Itaparica que contemplou eventos de diferentes amplitudes. E mais que isso. Estabelecemos um importante diálogo com as comunidades.

Aula Pública em Itaparica

Alunos lotam auditório da Biblioteca Juracy Magalhães Jr. (Itaparica) para aula pública  - Foto: Valdicley Santos

No balanço final do projeto, conseguimos perceber que havíamos cumprido o nosso dever. As pessoas conseguiram se reconhecer nessa História. De fato, as pessoas viram a importância do 2 de julho baiano. E, para além disso, ficou claro que o nosso 2 de julho não morreu. Acreditamos que o trabalho realizado in loco continuará a produzir efeitos positivos. Enfim, a semente foi lançada.

Marcelo Siquara - Historiador que conduziu as Rotas Históricas em Salvador (5) e Itaparica (6). As Rotas integraram a programação do Colóquio Guerra e Identidade, promovido pelo Centro de Memória da Bahia.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.