Livro e Leitura

13/07/2017 11:40

Lançado II Prêmio Kátia Mattoso e inscrições seguem abertas até outubro

Seminário e Lançamento do Prêmio Kátia Mattoso

Foto: Diego Santoro

A primeira edição do Prêmio Kátia Mattoso de História da Bahia aconteceu nesta quarta-feira (12), no auditório que leva o seu nome, na Biblioteca Central do Estado da Bahia. Na ocasião, os pesquisadores e historiadores Clóvis Ramaiana e Rebeca Vivas, vencedores do Prêmio no ano passado, lançaram seus livros – frutos de uma tese de doutorado e dissertação de mestrado, respectivamente.

O diretor-geral da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo, destacou a importância da premiação: “Esse é um dos trabalhos de excelência da FPC, acontece em parceria com a Universidade Federal da Bahia (UFBA) e tem como inspiração uma das maiores pesquisadoras/historiadoras que já passou por aqui”.

O primeiro lançamento da tarde foi do livro “Canções da cidade amanhecente: urbanização, memórias e silenciamentos em Feira de Santana, 1920-1960”, de Clóvis Ramanaia. Na ocasião, ele falou sobre o seu trabalho: “Busquei retratar como a cidade se adaptou ao fenômeno da mercadoria. É um trabalho local, mas não um trabalho fechado em si, é um fenômeno mundial retratado a partir da cidade de Feira de Santana”.

Clóvis ainda revelou que essas transformações “eram a necessidade da cidade de ficar adaptada a um ritmo temporal. Predominou a construção de linhas retas, que fossem contínuas, homogêneas e homogeneizadoras”. Ana Maria Carvalho dos Santos (UEFS) participou da mesa e comentou a obra: “Clóvis é um profundo conhecedor da história e memória da cidade. Através das fotografias, ele revela sujeitos, ângulos, espaços ocupados, vazios e ocultados. Ele fala sobre um progresso que é construído sobre os destroços”.

Nivaldo Andrade (UFBA) foi o outro debatedor da mesa: “o livro fala sobre Feira de Santana sem cair do academicismo, mas ao mesmo tempo Clóvis não perde o rigor acadêmico. É como ler um romance, apesar de ser claramente um trabalho acadêmico de pesquisa. Ele utiliza fontes diversas como relatos orais, programas de rádio, músicas e poesias”.

Igreja e Estado – Após um café para os participantes, foi a vez do lançamento do livro de Rebeca Vivas “Relações Igreja-Estado: a ação episcopal de D. José Botelho de Mattos (Bahia, 1741-1759)”, que venceu na categoria de melhor dissertação de mestrado. “Fico muito lisonjeada, pois foi meu primeiro trabalho acadêmico. Minha proposta foi fazer um trabalho mais científico sobre as relações eclesiásticas aqui no Brasil”, disse a historiadora.

Ela completa: “o livro é uma investigação sobre o papel do indivíduo na relação Igreja-Estado, quais os dilemas políticos, administrativos e ideológicos dessa pessoa que governa a Diocese. No fim das contas, meu objetivo era investigar como o sujeito reage nessas situações”. Everton Sales (UFBA) integrou a mesa de lançamento e aproveitou para ler trechos do livro de Rebeca.

Na ocasião, Evergton Sales (UFBA), enfatizou que “esse Prêmio é muito importante como incentivo para a área, principalmente por se tratar de um prêmio sobre a História da Bahia”. Cândido da Costa e Silva (UCSAL), outro participante da mesa, também avaliou a iniciativa: “É muito positivo, não só para os nossos novos pesquisadores, mas para o conhecimento do nosso próprio estado”.

A estudante de história, Carla Dias, compareceu ao lançamento e disse que “esse Prêmio é muito incentivador para os futuros historiadores. É muito importante que esses trabalhos que são feitos na academia não parem por lá e cheguem ao público geral. Os livros favorecem esse processo”.

Nova Oportunidade

A segunda edição do Prêmio Kátia Mattoso de História da Bahia também foi lançada nesta quarta (12). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas via Correios ou presencialmente, e estarão abertas no período de 12 de julho a 11 de outubro de 2017. Confira aqui todo regulamento.

Diretoria - Vinculada à Fundação Pedro Calmon/SecultBA, a Diretoria do Livro e Leitura (DLL) é responsável pela execução e implementação das políticas públicas de fomento ao livro e estímulo à leitura. Está em seus objetivos incentivar a prática da leitura, promovendo eventos do setor, como leituras públicas com autores, oficinas de leitura, seminários, feiras, palestras e conferências sobre obras, autores e tópicos importantes da Literatura. Também compete à DLL a promoção do livro, fomentando a produção editorial, elaborando prêmios literários e editais que proporcionem às editoras o acesso a recursos públicos que permitam às mesmas aumentar e diversificar a produção de livros no Estado, dentre outras ações que integram os objetivos do Plano Estadual do Livro e Leitura (PELL).

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.