Fundação Pedro Calmon

09/11/2017 14:50

Fundação Pedro Calmon participa de seminário da Rede de Bibliotecas Comunitárias de Salvador

Fundação Pedro Calmon participa de seminário da Rede de Bibliotecas Comunitárias de Salvador

Foto: Amanda Moreno

Aconteceu nesta quinta-feira (9) a 8ª edição do Seminário “Ler: Direito de Todos”, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Vereadores de Salvador. A ocasião reuniu bibliotecários, agentes e mediadores de cultura de toda a cidade para discutir políticas públicas do livro, da leitura e da biblioteca, e ampliar a visibilidade das ações desenvolvidas pelas bibliotecas comunitárias.

O evento ainda teve a finalidade de agregar parceiros para fortalecer a luta por uma Política Pública do Livro, da Leitura e da Biblioteca para Salvador. O Seminário é promovido pela Rede de Bibliotecas Comunitárias de Salvador (RBCS) responsável por articular 14 bibliotecas comunitárias em diferentes bairros da capital baiana com apoio do Instituto C&A – Programa Prazer em Ler.

“A importância das Bibliotecas na formação de leitores da cidade de Salvador” foi tema da primeira Mesa do Seminário. A diretora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, Carmen Azevedo; e a coordenadora de leitura da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL), Nana Carvalho, ambas representando a Fundação Pedro Calmon, estavam presentes.

“A gente trabalha para que a leitura seja um instrumento para lutar contra a discriminação. Nosso objetivo é tornar o leitor um cidadão para que ele possa aprender a ter uma leitura crítica de mundo também”, disse Carmen, que em sua fala salientou algumas ações da Fundação Pedro Calmon como o Cadastro de Bibliotecas Comunitárias online e a assistência técnica prestada às bibliotecas públicas, comunitárias e pontos de leitura.

Já Nana Carvalho, que representava também o Programa Nacional de Incentivo à Leitura – Proler, relatou: “faz algum tempo que já temos o contato com as bibliotecas comunitárias, mas neste ano decidimos ir pessoalmente conhecer cada uma delas que faz parte da Rede. O analfabetismo funcional na Bahia é muito grande e isso está intimamente ligado aos problemas sociais da cidade que são históricos”.

Em sua fala, Nana aproveitou para apresentar as ações e objetivos do Proler – um momento nacional de pensar a leitura como transformador da sociedade – criado em 1992. “Tem muita coisa acontecendo em Salvador relacionado a leitura. O que acontece é que não há visibilidade e diálogo entre as várias redes. Romper o silêncio e essas paredes invisíveis é um dos objetivos do Proler”, finalizou.

A mediadora de leitura da Biblioteca Comunitária Sete de Abril e co-gestora da RBCS, Ana Paula Carneiro, cativou os presentes: “eu sonho com o dia que a biblioteca deixará de ser apenas um nome pequeno numa porta e seja um local que a gente tenha um profissional bibliotecário contratado, que haja mediação de leitura e um espaço repleto de jovens que não queremos que estejam em cadeias amanhã. Sonho também com o dia em que todas as escolas tenham uma biblioteca – como está previsto em lei – e que esta biblioteca tenha uma porta com saída para a rua, para que ela seja não apenas uma biblioteca escolar, mas também uma biblioteca comunitária.”

Integraram também a Mesa de abertura a coordenadora estadual de bibliotecas escolares, Alessandra Barbosa; a representante da Secretaria Municipal de Educação de Salvador, Inaraci Sacramento; e a representante da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, Claudineide de Jesus.

À tarde, o Seminário Ler: Direito de todos discutiu o tema: Bibliotecas Comunitárias – Como garantir recursos públicos e privados para formação de leitores?”.

Diretoria - Vinculada à Fundação Pedro Calmon/SecultBA, a Diretoria do Livro e Leitura (DLL) é responsável pela execução e implementação das políticas públicas de fomento ao livro e estímulo à leitura. Está em seus objetivos incentivar a prática da leitura, promovendo eventos do setor, como leituras públicas com autores, oficinas de leitura, seminários, feiras, palestras e conferências sobre obras, autores e tópicos importantes da Literatura. Também compete à DLL a promoção do livro, fomentando a produção editorial, elaborando prêmios literários e editais que proporcionem às editoras o acesso a recursos públicos que permitam às mesmas aumentar e diversificar a produção de livros no Estado, dentre outras ações que integram os objetivos do Plano Estadual do

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.