Bibliotecas

13/11/2017 16:20

#NovembroNegro – Biblioteca Virtual realiza ações com temáticas raciais durante todo o ano

#NovembroNegro – Biblioteca Virtual realiza ações com temáticas raciais durante todo o ano

Para além das celebrações no Mês da Consciência Negra, a Biblioteca Virtual Consuelo Pondé realiza diversas ações com temáticas históricas e raciais durante todo o ano. São publicações de artigos, dossiês, exposições e séries especiais, além de um rico acervo bibliográfico da unidade que tem como eixo principal a divulgação da História da Bahia.

Dentre as séries especiais, destacam-se a Trezena da Liberdade e O Dia Seguinte. O primeiro culminou na publicação de 13 artigos sobre diferentes experiências de liberdade, em diversas regiões e contextos da história da escravidão na Bahia. Já O Dia Seguinte é inspirado no projeto Trezena da Liberdade.

Nesta série especial, a Biblioteca Virtual convidou professores, escritores e pesquisadores de outros cinco estados, além da Bahia, para versarem sobre as disputas por direito à cidadania pelas populações egressas do cativeiro e seus descendentes após a abolição. Foram 18 artigos publicados que falam sobre lutas por terra, sindicalismo, educação, moradia, greves, festejos, religião, trabalho e direitos civis, sociais e políticos.

Com a finalidade de debater as experiências das populações remanescentes de quilombos baianos, a BVCP convidou pesquisadores, estudantes, fotógrafos, poetas e artistas para falarem sobre as múltiplas Experiências Quilombolas na contemporaneidade.

Integrante da programação do Março Mulher, a BVCP lançou o projeto Perfis Femininos, que publicou exposições sobre personalidades femininas que contribuíram com a história baiana nos mais diversos campos como a ciência, educação, cultura, política, artes e religião durante todo o ano. Uma delas foi Dona Dalva: de charuteira a sambista que conta a história da cachoeirana, compositora e cantora, líder do Grupo de Samba de Roda Suerdieck e integrante da Irmandade da Boa Morte.

O grupo de Dona Dalva Daminiana teve um importante papel para que o Samba de Roda do Recôncavo da Bahia fosse tombado como Patrimônio Imaterial Nacional pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2004, e um ano depois, reconhecido pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade.

“A Biblioteca Virtual trabalha a questão racial durante todo o ano. A produção de artigos, exposições, dossiês e projetos é constante, até mesmo pela temática da Biblioteca em História da Bahia. O Novembro Negro é apenas o mês em que celebramos tudo aquilo que produzimos e divulgamos durante todo o ano”, conta o coordenador da Biblioteca Virtual, Clíssio Santana.

Dossiês e exposições – Outra iniciativa da BVCP é a publicação de dossiês e exposições fotográficas. Os importantes aspectos das irmandades na Bahia Colonial foram destacados no Dossiê Irmandades Negras. Três importantes pesquisadores da área: Luciene Reginaldo, Luis Nicolau Parés e Renato da Silveira descrevem como eram organizados estes grupos étnicos e como serviu de exercício de cidadania política. Além dos artigos, o dossiê ainda apresenta a exposição “Nossa Senhora da Boa Morte – Impressões fotográficas” de Gabriela B. Harrison e Lilian Antonio.

Com autoria e curadoria do fotógrafo Lázaro Roberto, a exposição fotográfica "Lentes Negras: festas, festejos e celebrações” retrata as comemorações, celebrações, festejos e costumes da população negra baiana nas mais diversas dimensões. O acervo faz parte do ZUMVI Arquivo Fotográfico, criado na década de 1990 por Lázaro e que hoje guarda mais de 30 mil fotos que revitalizam e preservam a memória da população negra.

A Biblioteca Virtual Consuelo Pondé é também responsável pela publicação periódica da Revista Bahia com História. São diversos artigos, entrevistas e homenagens que versam sobre a temática racial em cinco edições. Quem deseja se aprofundar mais no assunto, a unidade ainda conta com um rico acervo bibliográfico. Confira.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.