Centro de Memória

20/05/2019 15:20

São Francisco do Conde foi o primeiro ponto de parada da Rota da Independência 2019

1
Fotos: ASCOM/FPC

"Houve luta e batalha. O povo foi às ruas pela sua liberdade! Negros, índios e mulatos se uniram pela independência da Bahia". Foi com esta afirmação que o historiador Jaime Nascimento abriu a Rota da independência de 2019.

A aula aconteceu no auditório da Câmara de Vereadores do município de São Francisco do Conde, na manhã desta segunda-feira (20). Estiveram presentes no evento representantes da prefeitura e da câmara municipal, além de Walter Silva, coordenador de pesquisa do Centro de Memória da Bahia (CMB), Igor Galvão, chefe de gabinete da Fundação Pedro Calmon (FPC), e André Reis, diretor do Centro de Culturas Populares e Indenitárias (CCPI), representando a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

A Rota da Independência é uma ação da Secult, através do CCPI, em parceria com a FPC, através do CMB, que valoriza o patrimônio histórico e cultural das cidades de São Francisco do Conde, Santo Amaro, Cachoeira, Caetité, Salvador, Itaparica e Maragojipe.


2 4 3


A Rota passará pelos 6 municípios e a primeira parada foi em São Francisco do Conde, que segundo Jaime Nascimento, foi um polo de resistência do povo baiano. "A vila de São Francisco garantiu mão de obra e alimentos na luta pela independência da Bahia", afirmou.

Para Walter Silva, a atividade é importante para o processo de fortalecimento da memória da independência devido a participação popular. "o povo foi para o front, para as trincheiras e compôs os mais diversos batalhões em luta pela liberdade".

Faz parte também da rota uma exposição fotográfica que conta um pouco mais sobre o 2 de Julho. De acordo com André Reis, são 12 painéis que "retratam a importância das cidades no processo de independência do estado". A exposição ficará aberta ao público até o próximo dia 30, no Mercado Cultural.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.