Fundação Pedro Calmon

20/09/2019 11:00

Fundação Pedro Calmon dissemina a importância da inclusão social através de parcerias

De acordo com a última Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,2% dos brasileiros possuem algum tipo de deficiência, seja ela física ou intelectual, congênita ou adquirida.

Isso quer dizer que mais de 12 milhões de pessoas necessitam de assistência e oportunidade de desenvolvimento. Sendo a leitura um caminho para isso, as Bibliotecas Públicas do Estado democratizam este vasto universo aproximando mais as pessoas, por meio de projetos como o Leituras Acessíveis.

1  2

Foto: Camila Souza/GOVBA

É o que acredita o coordenador do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP), River Carvalho. Para ele, a importância da leitura na vida da pessoa com deficiência se consiste em viabilizar formas de comunicação e interatividade que ultrapassem relações pessoais.

"Pensar a biblioteca como um espaço inclusivo com acessibilidade ampla e estratégica, como tem acontecido, é demonstração singular de sensibilidade e evolução do entendimento de uma sociedade e instituições mais democráticas e acessíveis para todos", declara o coordenador.

As unidades da Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBa) têm desempenhado esta função, ainda mais com as parcerias fechadas entre a FPC e outras instituições. A Estação das Artes, a Semana Nacional do Museu e as Sextas Culturais são exemplos de projetos que, para River, auxiliam as bibliotecas a atingirem esta população.

"Através da fomentação das suas ofertas, no diálogo com outras instituições educacionais e culturais e na modernização da sua comunicação e estrutura, preservando a essência material e imaterial que a conduz a um lugar significativamente especial na sociedade", explica ele.

  3  5

Foto: Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP)

Nas palavras de River, datas como o Dia Nacional de Luta pela Pessoa com Deficiência são marcos reparatórios que conscientizam, o que, para a diretora da Biblioteca Anísio Teixeira (BAT/Pelourinho), Laura Galvão, também recuperam a autoestima da pessoa com deficiência e promovem maior compreensão e mobilização em defesa de valores e de direitos.

"As bibliotecas têm procurado se inserir no universo da acessibilidade, a acolher o maior numero de pessoas com diversas deficiências, quebrando assim as barreiras da comunicação", frisa a diretora.

O Projeto - Debate o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência com uma série de atividades que acontecem nas Bibliotecas Públicas Estaduais, com a perspectiva de trabalhar temas referentes à acessibilidade, proporcionando conhecimento acerca de questões que se relacionam diretamente com a acessibilidade nas suas mais diversas formas e contextos.

As bibliotecas públicas integram o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, gerido pela Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura do Estado (FPC/SecultBA). O Sistema é composto por seis bibliotecas públicas estaduais, localizadas em Salvador e Itaparica, além da Biblioteca de Extensão e da Biblioteca Virtual Consuelo Pondé especializada na história da Bahia. O Sistema também presta assistência técnica para mais de 450 bibliotecas municipais, comunitárias e pontos de leitura, além de cursos de capacitação para os funcionários destas unidades.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.