Fundação Pedro Calmon

03/01/2020 16:00

#FPCem2019 Fundação desenvolve atividades que incentivam o livro e a leitura e preservam a história da Bahia

1



A FPC/SecultBA desenvolve atividades que visam fomentar o hábito da leitura e da escrita, além de preservar e difundir a história da Bahia. O objetivo foi fortalecido nas atividades realizadas em 2019 com oficinas, contações de história, campanhas, bate-papos, apresentações teatrais e musicais, a Fundação atingiu cerca de 64 mil pessoas através de suas unidades.

 

Bárbára Falcon, gestora da Diretoria do Livro e da Leitura da FPC (DLL), avalia que as atividades desenvolvidas no órgão atuam “descentralizando ações culturais e fomentando a discussão da arte literária”. Através da DLL, a FPC realizou concurso literário; bate-papos; campanhas de doação e arrecadação de livros; e oficinas voltados à juventude com destaque, segundo Bárbara, para os dois últimos, realizando cerca de 30 mil atendimentos em aproximadamente 90 municípios dos 27 territórios de identidade da Bahia, a gestora ainda destaca que os jovens são “um público prioritário para quem executa políticas públicas”.

 

Com atividades desenvolvidas nas festas literárias da Praia do Forte, de Cachoeira, de Ilhéus e de Cajazeiras, além das campanhas realizadas em diversos locais do estado, a DLL atingiu quase 29 mil pessoas e doou cerca de 10 mil livros. Em 2019, a diretoria realizou a quinta edição do Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Redação, com recorde de inscrição. O projeto atingiu mais de 2.200 estudantes dos 27 territórios de identidade da Bahia.

 

A FPC teve a surpresa de ter três estudantes em cumprimento de medidas socioeducativas (FUNDAC) e uma estudante oriunda do Assentamento do Movimento dos Sem Terra do município de Abaré entre os selecionados, evidenciando o papel de transformação social que o livro, a leitura e a escrita possuem. Os textos selecionados foram ilustrados por Rodrigo Shak e fizeram parte de uma exposição no Teatro Castro Alves, tendo cerca de 500 visitantes. O trabalho foi finalizado com uma parceria com a editora Caramurê para o lançamento de uma antologia que reuniu os textos selecionados nas cinco edições do concurso.

 

Outra diretoria que desenvolve as atividades de preservar e difundir a história da Bahia é o Centro de Memória da Bahia (CMB). A diretoria, ligada à FPC, realizou cursos, bate-papos e oficinas, com o diferencial de agir como um facilitador da disseminação do trabalho acadêmico na sociedade, o que é ressaltado por Valdicley Vilas Boas, coordenador de arquivos privados. As ações se configuram como espaço “de difusão do conhecimento produzido pela academia para a sociedade em geral, proporcionando a apresentação dos resultados das pesquisas lato e stricto sensu”. Através do CMB, a FPC pode levar seu trabalho a Itaparica, Caetité, Morro de São Paulo e Salvador, atingindo mais de 1700 pessoas.

 

Valdicley avalia como destaque o Memórias Contemporâneas, projeto que visa “contribuir na preservação da informação”, uma vez que tem como objetivo a produção de um acervo audiovisual que compõe um banco de dados a partir de registros de memórias em vídeo. Outro ponto ressaltado é a procura pelos cursos desenvolvidos pela diretoria, “no Curso Livre de Paleografia, devido ao formato, temos vagas limitadas a 30 curistas, no entanto, tivemos 97 escritos” pontua o coordenador.   

 

E ainda, com a programação das Bibliotecas Públicas do Estado da Bahia, a FPC atingiu cerca de 33 mil crianças. Com destaque para os espetáculos teatrais A princesa Dandara e O pequeno Príncipe que, juntas, tiveram um público de mais de 4 mil crianças, mas, além disso, as unidades contaram com uma programação recheada de contações de histórias, apresentações musicais, oficinas e muito mais.

 

E com 22 projetos voltados para o público jovem, as unidades também desenvolveram palestras, oficinas, aulões para vestibular, bate-papos, cine vídeo, festival de Hip-Hop, Evento Nerd, K-Pop Meeting Bahia 2019 e o Board Games, que atingiram mais de 3 mil jovens. Houve ainda o Encontro de Bibliotecas Públicas e Espaços de Leitura da Bahia, realizado na Biblioteca Central do Estado da Bahia, que reuniu cerca de 60 participantes da capital e do interior para discutir a potencia dos espaços de leitura.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.