Fundação Pedro Calmon

16/12/2020 16:12

Aniversário de 6 anos da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras: lançamento de livro e site

12
Foto: Divulgação.

Sabe o que acontece quando mulheres negras acadêmicas se juntam? Elas se tornam intelectuais negras que pesquisam em rede! Esse é o caso da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras, um grupo criativo e potente, iniciado no Rio de Janeiro em 2015, que reflete sobre as urgências e desafios da Educação das Relações Étnico-Raciais (ERER) no Brasil.

O livro Pesquisa em rede de mulheres negras, organizado por Claudia Miranda (Unirio), é fruto desse trabalho integrado com autoras negras vinculadas a diferentes programas de pós-graduação (Mestrado e Doutorado) e, ao mesmo tempo, alinhadas com coletivos e associações do Movimento Negro e do Movimento de Mulheres Negras: Aline Cristina Oliveira do Carmo (CPII; Unirio), Ana Beatriz da Silva (UFF), Carla Aparecida da Silva (Unirio), Célia Regina Cristo de Oliveira (Unirio), Claudia Miranda (Unirio), Danielle de Deus França Gomes Galvão Vaz (Unirio), Elaine Barbosa (UFRJ), Fanny Milena Quiñones Riascos (Secretaria de Educação de Bogotá, Colômbia), Rejane Costa da Silva (Unirio) e Sonia Maria Vieira da Silva (Unirio).

Adquira o seu exemplar com preço especial de pré-venda durante a campanha do lançamento. É só clicar aqui.

Segundo a pesquisadora afro-colombiana Betty Ruth Lozano Lerma, da Fundación Universitaria Bautista, a obra é uma “ valiosa colección de ensayos resultado de las investigaciones de mujeres negras académicas del más alto nivel, intelectuales de primera línea con un profundo compromiso con la defensa de la vida de las mujeres y de los derechos de la población negra. Lectura obligada para todes a quienes interesa la educación como un proceso descolonizador y pretendan ubicarse desde una epistemología “otra”.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.