Fundação Pedro Calmon

04/05/2021 10:30

Pesquisadores na área de memória ganham mais tempo para execução de projetos

memoria

Pesquisadores que atuam no campo da memória têm até o dia 10 de julho de 2021 para execução dos projetos contemplados no Edital 001/2020, conforme consta no Diário Oficial do Estado publicado no dia 9 de abril.

Desta forma, os 107 projetos de 10 Territórios de Identidade do Estado contemplados na Categoria Memória por meio do Prêmio Fundação Pedro Calmon, dentro do Programa Aldir Blanc Bahia, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, que destinou R$850 mil a pesquisadores livres ou associados, conseguem mais tempo para executarem suas atividades.

Um dos projetos de destaque da categoria é o Por um resgate a Memória, Cemitério dos Escravos do Campo da Pólvora, Salvador-Bahia (1826-1840).  Que realizou o levantamento de informações e pesquisas relacionadas ao cemitério do Campo da Pólvora, sua localização e tratamento dado a corpos negros desvividos no momento do enterramento durante primeira metade do século XIX.

O mesmo acontece com o projeto intitulado Memórias Afro-Atlânticas: as gravações de Lorenzo Turner na Bahia (1940-1941). Onde foi feita uma pesquisa etnomusicológica sobre os estudos conduzidos na Bahia na década de 1940, pelo afroamericano Lorenzo Turner.

Segundo Walter Silva, diretor do Centro de Memória, “a prorrogação da LAB possibilita aos premiados da categoria Memória alargarem a prospecção, análise e cotejamento das fontes relacionadas ao objeto de suas pesquisas, o que promove impacto positivo no resultado final dos projetos”, afirma.

Quem ainda não executou o projeto precisa enviar o material de divulgação para o email: aprovacao.aldirblancba@fpc.ba.gov.br. Para quem tiver dúvidas sobre encaminhamentos do projeto, precisa enviar email: duvidas.lab@fpc.ba.gov.br.

Programa Aldir Blanc Bahia – Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o Programa Aldir Blanc Bahia (PABB) visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações são a transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, e a realização de chamadas públicas e concessão de prêmios. O PABB tem execução pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, geridas por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura e do Centro de Culturas Populares e Idenitárias; e as suas unidades vinculadas: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural.


Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.