Fundação Pedro Calmon

05/10/2021 17:00

Acervos Virtuais da FPC reúne produtos da LAB e valoriza a memória cultural da Bahia

lab


Visando socializar e compartilhar os produtos finais oriundos do edital Prêmio Fundação Pedro Calmon, os Acervos Virtuais da Biblioteca Consuelo Pondé (BVCP) está reunindo e vai disponibilizar, até o final do mês de outubro, todos os 347 premiados no site < http://www.bvconsueloponde.ba.gov.br.  O edital foi gerido pela Fundação Pedro Calmon e teve objetivo de reconhecer e fomentar as iniciativas culturais da sociedade civil que tem por finalidade preservar e divulgar o acervo documental; estimular e promover as atividades relacionadas com bibliotecas, assim como, promover ações de fomento e difusão do livro e da leitura nos diversos territórios de identidade do Estado da Bahia Todos os projetos deverão.

 

Todos os projetos contemplam os campos da memória, arquivos, bibliotecas comunitárias e livro e leitura e os valores dos prêmios variaram de R$ 4.250,00 até R$ 200 mil reais. O edital premiou propostas de instituições baianas da sociedade civil com atuação na área cultural e responsáveis pela custódia ou guarda de documentos do estado. O Prêmio Pedro Calmon faz parte do Programa Lei Aldir Blanc Bahia, coordenado pela Secretaria de Cultura (SecultBA) e utiliza recursos oriundos da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020), direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo.

 

Através do Programa, a FPC/SecultBA destinou mais de  R$ 11,5 milhões para profissionais da cultura e de acordo com coordenador dos Acervos Virtuais, o historiador Clíssio Santana, a proposta da disponilização visa resguardar a memória cultural baiana, assim como, fortalecer o acervo da Biblioteca Virtual Consuelo Pondé, a partir da inserção de mais de 300 produtos com temáticas diversificadas. Para Clíssio, a diversidade presente na premiação, revela a riqueza, criatividade e a importância da cultura na formação da sociedade baiana. “Com isso, teremos acesso a produções de 23 territórios de identidade de forma virtual, acessível e democrática”, conclui o gestor.

 

Do conjunto dos projetos finalizados e apresentados nas quatro categorias, destacam-se a ampla abordagem de temáticas como urbanização, gênero, raça, cultura popular, linguagens, política, educação, religião, literatura, trabalho e cinema. Neste sentido, Clíssio também destacou esta diversidade temática como ponto forte desta produção cultural, ainda que em momento pandêmico e, além disto, enxerga nessa multiplicidade cultural, o caminho para o desenvolvimento de trabalhos futuros. “Entendendo que estas produções foram construídas da sociedade e para sociedade, é importante entender qual o caminho as políticas culturais podem seguir para terem avanço e refletir o interesse coletivo”, finaliza Clíssio.

 

Programa Aldir Blanc Bahia – Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o Programa Aldir Blanc Bahia (PABB) visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações são a transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, e a realização de chamadas públicas e concessão de prêmios. O PABB tem execução pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, geridas por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias; e as suas unidades vinculadas: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.