Arquivos

12/12/2018 17:30

Professor Vilson Caetano lança livro que aborda repressão policial e a luta de resistência dos Candomblés na Bahia no século passado

1


O lançamento do livro Corujebó: Candomblé e Polícia de Costumes, do Profº Vilson Caetano acontece na próxima sexta-feira (14), às 18h, no auditório do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, na Piedade e contará com a presença do ex governador do estado, Roberto Santos.

O livro, publicado pela EDUFBA, tem o apoio da Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBA) e é fruto de pesquisas realizadas no acervo do Arquivo Público do Estado da Bahia (APEB).

O livro revela, a partir de uma narrativa inovadora, a riqueza do acervo da Delegacia de Jogos e Costumes da Bahia. A pesquisa identificou no período de 1938 a 1976, a repressão policial e a luta de resistência dos Candomblés na Bahia.

De acordo com a diretora do APEB, Teresa Matos, “o leitor poderá conferir a força simbólica da pesquisa nas 40.800 páginas de ocorrências e queixas policiais de batidas em Candomblé de Atabaque”, afirma Teresa.

Sobre o autor - Vilson Caetano é pós doutor em Antropologia pela UNESP. Atualmente é professor associado da UFBA e professor colaborador do Programa em Estudos Pós Graduados em Antropologia. Criador do Núcleo de Referencia e Estudos Afro-Brasileiros (NUREAB), desenvolve pesquisas na área de antropologia das populações afro-brasileiras.

Sobre o livro - O livro dá enfoque às ações da polícia, sobre os atos religiosos de matriz africana. Segundo pesquisas, realizadas pelo autor, a Delegacia de Jogos e Costumes era responsável pela fiscalização de tudo que atentava contra os “bons costumes”. Os Pais e mães de santo eram obrigados a registrar o seu Candomblé no setor de censura da delegacia e retirar uma licença para a realização da festa até às 22 horas. Com o Decreto Lei 25.095 de 15 de janeiro de 1976, Roberto Santos, então governador da Bahia, desobrigou os terreiros de Candomblé a fazer o registro e tirar licença para a realização das festas.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.