Fundação Pedro Calmon

29/04/2020 08:00

#FPCemCasa Teresa Matos comenta sobre restauração e reforma no imóvel sede do APEB

1

 

Ao longo dos 130 anos de existência, o Arquivo Público do Estado da Bahia (APEB), unidade da Fundação Pedro Calmon (FPC), vem reconfigurando seu sentido de atender a sociedade. Antes mantinha um caráter de repositório dos documentos produzidos e acumulados pelas atividades desenvolvidas pelo Estado. O APEB vem se adaptando às novas mudanças do século XXI, e nos últimos anos se tornou um difusor cultural e instrumento de democratização do Estado, como um espaço de cidadania e identidade. Há mais de uma década como diretora do APEB, Teresa Matos, trabalha para assegurar aos cidadãos o acesso às informações de interesse da sociedade

 

1 - A Unesco, por meio do Programa Memória do Mundo, publicou uma declaração intitulada Transformar a ameaça da Covid-19 em uma oportunidade para maior apoio ao patrimônio documental, co-assinada com seus principais parceiros. Qual foi o objetivo desse texto?

 

A iniciativa tem por finalidade apoiar instituições oficiais dos Estados-Membros, incluindo, notadamente, os Arquivos Nacionais que desejam preservar os registros oficias produzidos para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Destaca a gravidade da situação atual. Mas, também, demonstra a importância das instituições de memória no sentido de identificar, reunir, descrever, preservar e disponibilizar fontes documentais para subsidiar a compreenção e a contextualização para transpor crises semelhantes no futuro. O APEB, por exemplo, deu inicio a identificação dos atos oficiais produzidos pelo Governo do Estado da Bahia no Diário Oficial.

 

2 - Quais os impactos diretos que a quarentena trouxe às ações e projetos do APEB/FPC?

 

A urgência das medidas preventivas no combate a COVID-19 interrompeu a entrega de aproximadamente 70% do Solar da Quinta do Tanque, imóvel sede objeto das obras de restauração e reforma. E, os projetos apresentados a Diretoria Geral da FPC (Reinstalação da Sala de Consulta e Encontro Territorial de Arquivos Municipais do Estado da Bahia: Recôncavo e Portal do Sertão, além do apoio ao II Seminário Nacional de Governança Arquivística) deverão ser ajustados quanto ao período de execução e custos, em observância ao Decreto nº 19.551, de 20/03/2020, que estabelece medidas para o contingenciamento de despesas.

 

3 - Quais os benefícios da restauração e reforma do imóvel sede do APEB?

 

Pode-se destacar, as instalações físicas dos seis depósitos de documentos, os pisos de cerâmica foram substituídos por pisos de alta resistência estrutural e de carga, o forro de madeira instalado em dois depósitos recebeu tratamento preventivo contra cupins, todas as paredes internas foram pintadas, as 91 janelas e 41 portas foram restauradas, de forma a assegurar uma boa vedação, as instalações elétricas e os interruptores foram revisados, e encontram-se de acordo com as normas técnicas em vigor, além do elevador e toalete compatíveis. Tal investimento possibilitará ampliar o acesso, com equidade, a todos os cidadãos. E, demonstra a potência da unidade em realizar mais e cada vez melhor suas atividades de maneira acessível e participativa.

 

4 - Concluída a restauração e a reforma, quais ações e serviços a sociedade pode esperar do APEB/FPC?

 

Daremos ênfase na ampliação dos serviços disponibilizados ao cidadão. Isto significa dizer, atendimento presencial e a distância, emissão de certidões, visitas guiadas, promoção de eventos e exposições. Como também, atualizaremos as normas e procedimentos dos serviços de Consulta Presencial para os Documentos Textuais Originais e Transcrição Paleográfica e Emissão de Certidões. Além da criação de normas e procedimentos para as Visitas Guiadas, criação e implantação de uma agenda educativa e cultural.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.